Início‎ > ‎Património Cultural‎ > ‎

Arquitecto Raul Lino – Projectos e estudos elaborados para a Vila de Sardoal

Raul Lino (1879-1974) – Síntese biográfica


Nasceu em Lisboa a 21 de Novembro de 1879. Com 10 anos de idade, partiu para Inglaterra onde estudou durante 3 anos. Em 1893 ingressou na Escola de Artes decorativas em Hannover, Alemanha. Foi discípulo de Albrecht Haupt. Em 1897 regressou a Portugal e de 1898 a 1900 resolveu percorrer o país em busca do conhecimento das tradições arquitectónicas portuguesas. Em 1899 projecta um pavilhão para a Exposição Universal de Paris de 1900, que acaba por se preterido em concurso, que viria a ser ganho por Ventura Terra. Em 1902 foi a Marrocos. As viagens que fazia foram importantes na sua formação e acabaram por desenvolver o seu gosto pela paisagem. No ano de 1932 tornou-se membro fundador da Academia Nacional de Belas Artes, cuja presidência assumiu em 1967. Defensor de uma arquitectura ancorada na 'tradição', recreada pelo Estado Novo, Raul Lino será um dos arquitectos mais importantes da simbologia do regime. É nomeado director dos Monumentos Nacionais em 1949, 'impondo as suas concepções portuguesíssimas' e a 'casa portuguesa' (GEPB). De uma obra de mais de 700 projectos, destacam-se o Solar dos Patudos, em Alpiarça, o Cinema Tivoli, em Lisboa, os arranjos do Jardim Zoológico de Lisboa, o Monumento ao Infante D. Henrique; a Casa do Cípreste, em Sintra; a Casa dos Penedos; Escolas Primárias de três regiões de Portugal, Casinos para o Bom Jesus, em Braga; o Grande Hotel do Luso; um conjunto de casas no Estoril entre 1901 e 1906, entre as quais a casa do pianista Alexandre Rey Colaço; o Jardim-Escola João de Deus; a vivenda Caetano da Silva, na Rua Alexandre Herculano; a vivenda do Sr. António Maria Pimenta, na Rua Venâncio Rodrigues; a Casa França Amado nos arredores de Coimbra, etc. Também são de salientar as suas obras de restauro, sobretudo em palácios, como o de Sintra e o de Queluz. Raul Lino tem um vasto conjunto de obras publicadas, nomeadamente 'A Nossa Casa', 1918;"Casa Portuguesa", 1929; 'Casas Portuguesas', 1933;"Quatro palavras sobre Urbanizações", 1945,"Quatro palavras sobre Arquitectura e Música" e sobre alguns elementos morfológicos da Arquitectura nas Artes Estáticas em 1962. Morreu em Lisboa a 13 de Julho de 1974.


Conforme noticia o jornal «Correio de Abrantes» que a seguir se transcreve, o arquitecto Raul Lino esteve na vila de Sardoal a convite do Dr. David Serras Pereira.

 

«CORREIO DE ABRANTES

7 de Agosto de 1932

Embelezamento da Vila

 

Esteve na passada semana nesta vila o notável arquitecto Raul Lino, a convite do nosso amigo Dr. Serras Pereira veio estudar a possibilidade do embelezamento desta linda terra.

As impressões colhidas foram altamente lisonjeiras para os sentimentos bairristas dos sardoalenses.»

 

Dessa visita resultaram alguns projectos e estudos de arquitectura para intervenções no Sardoal. Tanto quanto sei apenas três foram executados; o Pelourinho, a fonte da Praça da República e os muros envolventes do antigo dispensário do Serviço de Luta Anti-Tuberculosa (SLAT), construído com base num projecto - tipo do arquitecto Raul Lino.

O projecto para a reconstrução de uma casa no Passeio (Rua da Portela) não chegou a ser executado e essa casa, popularmente, chamada «Casa da Rita Pelada», foi demolida, por volta de 1980.

Seria muito interessante que em futuros projectos de reabilitação nas obras que foram realizadas com base nesses projectos se procurasse repor a situação original, alvitre que deixo à consideração da Câmara Municipal e da Santa Casa da Misericórdia.


Em anexo publicam-se esses trabalhos de Raul Lino, a partir dos arquivos da Fundação Calouste Gulbenkian, a quem presto a minha homenagem pelo trabalho que tem desenvolvido em prol da difusão da Cultura no Concelho de Sardoal.

Ċ
Luís Manuel Gonçalves,
21/08/2010, 08:40
Ċ
Fonte.pdf
(3213k)
Luís Manuel Gonçalves,
21/08/2010, 08:41
Ċ
Luís Manuel Gonçalves,
21/08/2010, 08:39
Ċ
Luís Manuel Gonçalves,
21/08/2010, 08:40
Comments